2 de janeiro de 2011

Paulo Alarcon

Acima foto do Dodjão (17) de Paulo Alarcon, outro piloto que andava muito na epoca, no box do lado outra fera Tonhão Tozo(45).

14 comentários:

william disse...

Grande Paulo Alarcon quem preparava esse carro era o pai do Tonhão o seu Augustinho Tozo.
Abraço.

Fabiani C Gargioni #26 disse...

Pelo amor de Deus,por onde andam os DOJÕES??? Temos que tentar juntá-los galera,tem algum pra vender aí no Pr???

william disse...

Sei que esse carro do Paulo ta pra vender mas não sei aonde esta o 45 do meu padrinho Tozo ele vendeu pra um piloto que dizia ser dodgero ficou um tempo curto com o carro e vendeu para um ferro velho.
Abraço.

Angelo Gomes disse...

O Dodge do Tozo num está com o Marco Pateta?

william disse...

Então foi o Pateta mesmo que fez isso. Até aonde eu sei foi isso que aconteceu,
esses tempos fui na oficina do marquinhos que corria com o dodge 01 e ele me falou isso.
Abraço.

Wilian Zavaski disse...

Cara o 45 no ferro velho... não acredito nisso...

Só pode ser brincadeira...

Fabiani C Gargioni #26 disse...

Mas tem que ter mais Dojões aí pessoal vamo à cata!!!

Fabiani C Gragioni #26 disse...

Me mandem o preço por favor e um abraço à todos!!!

BK Competições 20 anos acelerando emoções. disse...

O que eu sei é que o Pateta tah montando um Opalão, porque ele comprou um monobloco nosso mês passado. Menos 1 Dodge. Mais um Opala.
A verdade é que está cada vez mais difícil de se achar peças para os V8, isto impede os Dodgeiros continuar.
Poucos devem se lembrar, mas em meados de 2000/2001, o BK (Kava) teve um desafio feito de brincadeira pelo Beto Ulguim (atual Omega #88): inventar um jeito de impedir a extinção do Dodge. Pois bem, na próxima etapa, eis que alinha no grid um Dodge azul, branco e vermelho com um aérofólio um tanto avantajado, largando em último. Largaram, e ouvi-se um ronco diferente no meio dos Dódjões, e o interessante era que este zumbido diferente, um ronco ardido era justamente daquele branco que largava em último e na primeira volta estava em 3º. Muita gente achou interessante aquele Dódjão com um ronco diferente que no final da sua primeira corrida, chegara em 2º. Curiosos quando aquele carro encostou nos boxes eram aos montes. Eis que desce do carro aquele "senhorzinho" de óculos, franzino, o BK e os "zóiudos" pediram para que abrisse o capô. Eis a surpresa: um motor 6 cilindros de Opala (motor este que rendeu o título do Paranaense de 99 na Stock). A concepção era ótima, mais ou menos como aconteceu com a Brown GP com o motor Mercedes, um motor que casou perfeitamente com o chassis. Muitos (a grande maioria) aprovaram, mas os mais conservadores, torceram o nariz, e logo após algumas corridas, quando começamos a incomodar, impediram (os Dodgeiros da época) que o projeto fosse á frente. Ainda antes de desfazermos esta loucura, este bólido nos proporcionou 2 lideranças disparadas nas 100 Milhas de Ponta Grossa e São José dos Pinhais. Tenho certeza que hoje, estaríamos vendo ainda os 'grandões' em ação, podendo assim fazer como a TCC com os AP e os originais, fazendo os V8 A e os 6cc B. Tenho fotos aqui na Oficina deste Dodge com o propulsor do Opala, se quiserem ver, se manifestem e mandarei as fotos ao Gabriel.

Deivicris.

Fabiani C Gargioni #26 disse...

Lógico Deivicris manda ver nas fotos(isso com a permissão do Gabriel é claro)!!! Deivicris, poracaso tu não sabe de nunhum Dojão pra vender aí em Curitiba???

william disse...

Fabiane você gostoria de dodge de pista ou de rua?
Abraço.

Fabiani C Gargioni #26 disse...

De pista William,de rua eu já tive(Charger R/T dourado c/o teto vinil preto) é muito bom, mas nada se compara em acelerar na pista!!!

william disse...

Sei que este dodge amarelo ta pra vende mas não sei aonde esta posso me informar e se eu souber de alguma coisa te aviso.
Abraço.

Anônimo disse...

O Cesquim tem um dodge para venda, sem duvida o melhor de competição, Queria R$ 15.000,00 dois anos atrás.

Gastão Vosgerau